Posts Tagged ‘networking’

Sete dicas para construir um bom ‘networking’

Construir uma boa rede de relacionamentos é um dos pontos-chave para o sucesso profissional.

Bons contatos abrem mais portas no mercado e indicações. Há diversas formas para realizar o chamado “networking”. Uma delas é participar de eventos, quando existem chances de encontrar profissionais de diversos níveis e empresas.

No entanto, nem sempre é fácil ficar à vontade em encontros do tipo. Para o Chief Technology Officer (CTO) do escritório de advocacia Fenwick & West, Matthew Kesner, eventos são assustadores. Mas, como não há forma de evitá-los, ele utiliza algumas técnicas que ajudam a diminuir a ansiedade.

Confira algumas delas:

1- Peça ajuda

Kesner faz uma lista de colegas que são mais extrovertidos, ou conhecem outras pessoas no evento, e que podem apresentá-lo aos outros participantes. Mas, uma dica: tente não ficar “na sombra” de seus colegas por muito tempo; estabeleça seus próprios contatos.

2- Tenha uma lista de perguntas

A fundadora da desenvolvedora americana de software Quality Tree, Elisabeth Hendrickson, é uma introvertida assumida. Ela usa sempre uma variação dessas três perguntas para fazer contatos em um evento profissional: Qual o motivo da sua presença? O que está achando do evento? O que espera do evento? “É impressionante o quanto eu aprendo sobre alguém usando estas questões”, afirma.

3- Treine seu discurso

Antes do evento, simule uma situação em que tenha de descrever seu trabalho. Desta forma, você estará preparado quando alguém lhe perguntar o que você faz.

4- Procure oportunidades

Executivos experientes sempre procuram pessoas que não estão participando de nenhuma conversa e se apresentam. As filas também são uma ótima oportunidade para dar início a um bate-papo.

5- Seja motivo de conversa

A consultora Fiona Charles geralmente usa um broche de prata em forma de ferramentas de jardinagem. Por chamar atenção, o acessório acaba gerando elogios e, consequentemente, conversas e amizades.

6- Faça a lição de casa

Estude o tema do evento e conheça os palestrantes. Assim, terá base para entrar em qualquer discussão sobre o assunto e aproximar-se dos participantes.

7- Relaxe

Não é bom parecer tenso ou bravo. Então, sorria e tente se divertir. Lembre-se: a maioria das pessoas é amigável na maior parte do tempo.

Anúncios

Sete boas razões para você investir em networking

Mudanças no trabalho

A manutenção de contatos profissionais é benéfica a todos, do candidato até o gestor de vagas de trabalho.

Se uma de suas preocupações na hora de incrementar a rede de contatos profissionais que o cerca é ser ignorado, repense. No lugar de querer receber, procure contribuir. Apresentamos cinco motivos para seus contatos moverem seu cartão de visitas para a pasta “favoritos”.

Um dos motivos pelos quais você pode ser reticente na hora de fazer networking é o fato de, ao fazer contatos na busca por oportunidades profissionais, ter sempre a sensação de estar impondo sua vontade. É onde a vasta maioria das pessoas erra em seu conceito sobre a função e a dinâmica do network. Achar que o empregador não quer conhecer novos talentos e que quem procura por uma colocação não tem nada a oferecer também são dois erros muito comuns.

O presidente da empresa norte-americana de coaching Carrer Potential, Ford Myers, afirma que as vantagens na atividade de manutenção de contatos profissionais é benéfica a todos, do candidato até o gestor de vagas de trabalho.

“Quem faz o networking de forma apropriada dá mais que recebe”, resume Ford.

Autor da obra “Get the Job You Want – Evene When No One´s Hiring” (conquiste a vaga que quiser – mesmo quando não há contratações, em tradução livre do inglês), Myers procura esclarecer aos preocupados que muitos dos temores comuns são infundados.

1. Sua forma de se aproximar diz muito sobre você:As pessoas a sua volta podem estar secretamente à procura de alguém para compor seu quadro de profissionais. Elas também podem estar reticentes em agendar compromissos ou dar telefonemas para conversar sobre a questão. Então, se concordam em te receber para uma conversa, estão, na verdade, realizando um ensaio com sua postura e com seu comportamento.

2. Você vale o que sabe: Se está em atividade, realizando networking a todo vapor, possivelmente tem um conhecimento razoável sobre as vagas e ouve nas entrevistas como anda a economia e quais são, em parte, os planos estratégicos de outras companhias. Esse conhecimento é valioso para outras pessoas, incluindo seus potencias empregadores.

3. Existe interesse em ajudar você: Sim, existe. Ajudar aos outros em sua busca por emprego aumenta a moral de quem realiza a ponte. Se alguns fazem isso de forma puramente altruísta, existe outra parcela de pessoas com contatos que fazem isso de olho nos bons fluidos que essa ação pode lhes render. Seja qual for o caso, é bom para você.

4. O fator “ego”: Consultar seus contatos sobre questões profissionais faz com que se sintam apreciados. Ao perguntar-lhes algo que denote a necessidade por seus conhecimentos, você lhes atribui status de autoridade em determinados assuntos. Promove neles o senso de valor e em você o senso de alguém que é articulado, qualidade desejada.

5. Networking não é trabalho: Às vezes, o que seu contato mais quer é tomar uma xícara de café e conversar sobre amenidades. Isso pode ser ocasionado por uma carga de trabalho alta demais ou por simples tédio. Seja como for a razão, uma rápida saída para um cappuccino pode render frutos e informações valiosas.

6. As portas se abrem: Se precisar marcar uma reunião com alguém que tenha sido indicado por você, é praticamente certo que você será atendido, e bem. Longe de ser fruto do tráfego de influências, essa receptividade se dá em função da confiança que existe em seu trabalho e na qualidade de seus contatos. Afinal de contas quem vai pôr o trabalho a perder para facilitar uma operação comprometida?

7. Sua situação é pública: Muitas vezes, os seus contatos sabem perfeitamente o que o motiva a procurá-los. Se for uma questão urgente e você passar por necessidades, é bastante possível que os participantes de sua rede se empenhem em resolver seu problema, pois te conhecem e podem ter empatia por você.

(Meridith Levinson)