Posts Tagged ‘mark zuckerberg’

Facebook cria hardware open source que pode desbancar Cisco

O Facebook já deixou de ser uma empresa exclusivamente de software; após lançar, com a HTC, um “Facebook Phone”, e a compra da Oculus VR, dá para perceber que empresa está entrando no mercado de hardware, que é altamente competitivo. A empresa não tem, entrentanto, o intuito de ganhar dinheiro com vendas, mas de economizar em infra-estrutura e, de quebra, ainda pode desbancar a Cisco, fabricante de produtos de rede profissionais.

A rede anunciou o lançamento do Wedge, desenvolvido dentro do OCP (Open Compute Project), um tipo de switch ethernet que deixa funções como segurança para serem gerenciados por software fora do dispositivo, o que diminui o custo dos switches e os torna mais fáceis de utilizar. Segundo Mark Zuckerberg, apenas com a criação do Wedge, a empresa já economizou US$ 1 bilhão.

Atualmente, a Cisco domina o mercado de switches, vendendo hardware proprietário para servidores. No entanto, estima-se que as margens de lucro da empresa sobre seus produtos seja de mais de 60%, o que suscita em outras empresas a vontade de se desvencilhar da marca para projetos de grandes servidores e sistemas de rede.

O verdadeiro risco à Cisco vem do fato de que os produtos do OCP são open source, ou seja: qualquer outra empresa pode copiar o projeto, modificar o que for necessário, e contratar alguém para fabricar os novos produtos feitos sob medida. Isso pode ser um grande golpe contra a dominância da Cisco no mercado.


Via: Business Insider

Anúncios

20 estudantes de Stanford largaram a universidade para abrir startup

Conheça quatro empresários que também deixaram a faculdade para abrir suas empresas

Wall Street Journal
Clinkle

 

Em 2011, o estudante de Stanford Lucas Duplan saiu da universidade para montar uma startup. A empresa parecia ser tão promissora que em poucos meses 20 estudantes também deixaram a faculdade para ajudá-lo na empreitada.

A startup, chamada de Clinkle, permite que as pessoas usem seus dispositivos móveis para pagar bens e serviços, sem a necessidade de varejistas atualizarem seus sistemas de pagamentos. Segundo o Wall Street Journal, apesar dos planos da companhia de empregar 60 pessoas até julho, a Clinkle não deve começar oficialmente até setembro, já que o mercado de pagamentos móveis está sobrecarregado.

Grandes empresas como eBay, Amazon, Apple, Microsoft, Facebook e Google estão muito interessadas no mercado e querem que os usuários troquem suas carteiras pelos seus smartphones. Além das gigantes de tecnologia, outras startups, como Square e Stripe, também surgiram para fomentar os pagamentos móveis.

Até o momento, a Clinkle possui 30 funcionários com idades em torno dos 21 anos. Vale lembrar que alguns dos maiores empresários do mundo também largaram a faculdade para tocar seus negócios. Mark Zuckerberg e Bill Gates abandonaram a Harvard para se dedicar ao Facebook e Microsoft, respectivamente. Steve Jobs saiu do Reed College, em Portland, para fundar a Apple, e Michael Dell, fundador da fabricante de mesmo nome, deixou a universidade de medicina para cuidar de sua empresa de venda direta de PCs.

Conheça o ‘Facebook Phone’

Home’, apresentado por Mark Zuckerberg, é uma customização do sistema operacional do Google

Facebook Home

Os rumores estavam quase corretos: o Facebook agora tem seu próprio telefone, mas não se trata de um aparelho construído pela companhia. Mark Zuckerberg sequer quis desenvolver um sistema operacional inteiro dedicado a seu serviço. “Hoje nós vamos falar sobre aquele ‘Facebook Phone'”, brincou ele ao começar a apresentação desta quinta-feira, 4.

O “Home”, anunciado ontem pelo CEO, é uma versão customizada do Android que transforma o celular em algo mais focado no Facebook do que no restante das atribuições do aparelho – incluindo ligações e mensagens.

O produto, na verdade, não está muito longe do que já fazem Samsung, LG, HTC e outras fabricantes de smartphones, uma vez que cada uma aplica suas próprias modificações ao sistema operacional do Google. A diferença é que o Facebook construiu um aplicativo para modificar tudo, trabalhando a partir da tela inicial.

Adam Mosseri, diretor de produtos do Facebook, fez algumas demonstrações sobre a novidade. Se aparecerem notificações de amigos, você pode interagir com eles tocando sobre a mensagem ou ignorar deslizando a notificação para o lado. Há uma “cover feed”, que faz as histórias do feed de notícias passarem sem parar na tela; se quiser saber mais, basta clicar sobre algo.

Aproveitando recursos do Instagram, comprado pelo Facebook, o Home permite que você “curta” fotos apenas tocando duas vezes sobre ela. Para ver os comentários, basta tocar uma vez e, se quiser comentar também, é só deslizar o dedo para baixo.

Reprodução

No chat, a foto da pessoa surge na tela com o início do texto e, caso você queira conversar, basta tocar nela. A foto também mostra a quantidade de mensagens não lidas. Para voltar ao conteúdo anterior, é só tocar novamente na imagem do amigo e sair do chat.

Se quiser ver o telefone que há por trás de todo esse Facebook, o usuário precisa ir até o aplicativo “launcher” e, lá, encontrará todos os outros apps.

Reprodução

Como obter

É bem simples instalar a novidade: basta procurar por “Facebook Home” na Google Play e baixá-lo, mas ele só estará disponível a partir de 12 de abril. A configuração é automática e você só precisa escolher se deseja que o Home se transforme no padrão do Android.

Por enquanto, apenas os HTC One X e One X+ e os Samsung Galaxy S III e Note II são compatíveis. O Home também funcionará nos próximos One e no Galaxy S4 e em aparelhos que entrarem no Facebook Home Program.

Ainda não há versão para tablets e o Facebook pretende atualizar o Home mensalmente. “Esta é a melhor versão do Facebook que existe”, comentou Zuckerberg.

O smartphone

Outra parte dos rumores que estava correta é a que trata de um aparelho, mesmo, físico. O HTC First é o primeiro smartphone a vir com o Facebook Home pré-instalado. Ele não é azul, como a rede social, mas sim de uma cor vermelho alaranjado.

Ele sairá no mesmo dia do aplicativo, por US$ 99. “Você pode fazer o download do Facebook Home a partir de 12 de abril na Google Play ou comprar o HTC”, disse Zuckerberg.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Lep_DSmSRwE

Os melhores cursos de TI do mundo

Conheça as principais universidades internacionais que oferecem graduações na área e entenda como funcionam os processos de admissão

Graduação

Stephanie Kohn

A revista britânica Times Higher Education publicou o ranking das universidades com as melhores reputações do mundo. As cinco faculdades soberanas possuem cursos de tecnologia apontados como os mais promissores.

A lista, que teve participação de 16,6 mil acadêmicos em 144 países, traz três universidades norte-americanas e duas britânicas. Confira abaixo as vencedores, saiba quais são os cursos tecnológicos que elas oferecem e como funcionam os processos de admissão.

1º lugar: Harvard

Localizada em Cambridge, nos Estados Unidos, a Harvard é conhecida mundialmente por ensinar personalidades como Mark Zuckerberg. A instituição possui 20 mil alunos e sua reputação nas pesquisas acadêmicas bate os 100 pontos.

Dentro do departamento de engenharia existem cursos como computação aplicada e ciência da computação. A universidade oferece cerca de 3,5 mil cursos em 40 áreas e possui um excelente sistema de bibliotecas, com mais de 17 milhões de livros.

Para entrar na universidade não é preciso se submeter a um vestibular. O comitê de admissão da instituição analisa as notas obtidas pelos alunos durante o ensino médio, o nível de envolvimento com a comunidade local, atividades extracurriculares e experiência de trabalho.

Um representante do escritório de admissões da Harvard costuma visitar cidades brasileiras para dar detalhes sobre o processo seletivo e bolsas oferecidas pela universidade. Há diversas etapas que incluem entrevistas e proficiência de inglês que, aliás, precisa ser comprovada pelo exame TOEFL (Test of English as a Foreign Language).

Saiba mais aqui.

2º lugar: MIT

O MIT é constantemente mencionado na mídia como pólo de estudos e pesquisas ligadas à tecnologia. A universidade localizada em Cambridge, nos Estados Unidos, tem reputação de ensino de 83,3 pontos, e já produziu mais de 70 Prêmios Nobel. Bel Pesce, a menina do vale, foi uma das brasileiras que conseguiu uma vaga no instituto e voltou ao Brasil com uma carreira invejável (veja entrevista com ela aqui).

O processo de admissão avalia desempenho no ensino médio, habilidades acadêmicas e comunicação. O MIT busca pessoas com verdadeiro compromisso com a sociedade e que possuam interesse em diversos temas, como artes, músicas e esportes. Liderança, iniciativa e determinação também são importantes. O aluno interessado deve ter seu nível de inglês mensurado pelo TOEFL.

Para se inscrever na universidade, clique aqui.

3º lugar: Cambridge

A universidade britânica localizada na cidade de mesmo nome possui reputação geral de 81,3 pontos. Atualmente existem 1,2 mil estudantes internacionais na instituição, oriundos de 120 países diferentes, o que corresponde a 10% do número total de universitários. Cambridge possui cursos de tecnologia dentro do departamento de Ciência da Computação & Tecnologia.

Para ser admitido, o interessado deve realizar uma prova com três ou quatro matérias. Além de avaliar a nota, a universidade avalia também sua capacidade de discussão sobre os temas.

Os estudantes estrangeiros precisam realizar pelo menos uma das provas de proficiência em inglês: o IELTS (International English Language Testing System) com nota acima de 7,5 ou o Cambridge Certificate of Proficiency com a nota mínima B. A universidade ainda exige carta de recomendação, avaliação do histórico escolar e entrevistas com os candidatos.

Clique aqui para saber mais.

4º lugar: Oxford

Esta outra universidade britânica coleciona nota de ensino de 75,8 pontos e possui atualmente 12 mil alunos nas instalações em Oxford, Reino Unido. A instituição é a mais antiga universidade de língua inglesa do mundo. Na área de tecnologia, Oxford oferece cursos de Ciência da Computação, Base de Dados, Linguagem Computacional e outros.

Por meio de um formulário online você realiza a inscrição para estudos de graduação e pós-graduação. É necessário, no entanto, apresentar documentos para avaliação acadêmica, como histórico escolar e atividades extracurriculares. A faculdade também exige testes de proficiência em inglês reconhecidos pela universidade, como IELTS ou TOEFL.

A universidade possui um dos maiores índices de universitários internacionais do mundo: 14% de seus estudantes não são ingleses.

Saiba mais sobre o processo de admissão aqui.

5º lugar: Berkeley

Na Califórnia, Estados Unidos, está localizada a quinta principal universidade do mundo, com 36 mil alunos e reputação acadêmica de 75,1 pontos. A instituição espalha-se por uma área de 499 hectares com três bibliotecas centrais, oito museus, um jardim botânico, além de restaurantes e lojas.

Para ser considerado um candidato apto para admissão, o estudante internacional deve apresentar certificado de conclusão da escola secundária e realizar dois anos do programa A-Level com, no mínimo, três exames acadêmicos, diploma do programa IB ou outro currículo acadêmico semelhante.

A proficiência em inglês comprovada por exames TOEFL ou IELTS também é necessária, assim como o visto de estudante norte-americano.

Tire suas dúvidas aqui.

Para conhecer os cursos de tecnologia da USP, a universidade brasileira melhor colocada em nível mundial, clique aqui.

Pesquisa mostra que redes sociais podem ser maior fonte de conteúdo da Internet em 2012

As redes sociais estão dominando o mundo. Esta não é somente uma expressão, mas, de acordo com pesquisa feita pela comScore, está se tornando uma verdade absoluta na Internet. O “boom” dos sites de relacionamento já passou, mas eles continuam crescendo a cada dia. Segundo o estudo, 16,6% dos minutos gastos na Internet em 2011, nos Estados Unidos, foram em páginas deste tipo.

social-comscore-feb2012b
Audiência média das redes sociais (Foto: Reprodução)

O Facebook é o principal pilar desta evolução. O site criado por Mark Zuckerberg teve audiência média de 423 minutos por usuário no mês de dezembro. Mas os concorrentes também estão crescendo. O Twitter, segundo colocado, teve 37,5 milhões de visitantes únicos nos últimos 30 dias do ano passado.

O Pinterest vem com um crescimento absurdo, já ultrapassando concorrentes fortes como o Twitter e Tumblr.

O LinkedIn, por sua vez, somou 33,5 milhõs, enquanto o Google++ alcançou a marca de 20,7 milhões e o Tumblr 18,8 milhões. Tais números comprovam uma teoria estabelecida pelos estudiosos da comScore. Segundo eles, as redes sociais já vão se tornar a maior fonte de conteúdo da Internet, superando os portais de notícias, ainda neste ano de 2012.

O estudo, chamado de “2012 US Digital Future in Focus”, revelou ainda um aumento de 43% na audiência de vídeos online em relação ao ano passado. O volume de usuários que assistem transmissões ao vivo na web também cresceu, em 20%. O e-commerce e os anúncios foram outros números que aumentaram segundo a pesquisa, que revelou ainda que os programas de mensageiro instantâneo e e-mail estão em decadência (queda de 40%) em relação ao último ano.

Via Mashable.