Posts Tagged ‘cidades digitais’

Programa Cidades Digitais reabre inscrição nesta segunda-feira

O reforço de R$ 100 milhões no Programa Cidades Digitais abriu espaço para que seja aberta uma nova chamada de municípios interessados em participar do projeto. A partir de amanhã (4), as inscrições vão estar disponíveis no site dos Ministério das Comunicações.

O aporte extra ocorre em função da inclusão do Cidades Digitais no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Na última terça-feira (29), foram assinados os contratos com os primeiros 80 municípios selecionados.
O objetivo do projeto é modernizar a gestão municipal, oferecer acesso da população a serviços de governo eletrônico e incentivar o desenvolvimento local. O programa prevê infraestrutura de conexão de rede entre os órgãos públicos municipais e a instalação de aplicativos de governo eletrônico para gerir os setores financeiro, tributário, da saúde e educação.
O professor de engenharia de redes de comunicação da Universidade de Brasília (UnB) Rafael Sousa destacou que a iniciativa do governo está de acordo com a economia moderna e contemporânea, que precisa de forte suporte nos meios de tecnologia da informação. “Toda economia desenvolvida precisa de meios de informação tecnológica para avançar. Quanto mais perto da população, melhor. Esse é um projeto de desenvolvimento do país.”
No entanto, Sousa ressaltou que é preciso o estabelecimento de um plano de metas “rigoroso” para que o programa não fique apenas no papel. “Em geral, todo o desenvolvimento de tecnologia da informação social tem demorado muito. Não temos conseguido alcançar a qualidade necessária e nem a velocidade ideal.
Claro que sabemos que isso não ocorre de um dia para o outro, mas para ter resultados a longo prazo é necessário projetos de curto prazo bem definidos e gestão de um projeto de forma bem rigorosa.”
O cronograma do governo prevê que, até o fim do mês, as empresas de tecnologia contratadas pelo governo federal terminem de avaliar a atual infraestrutura disponível nas cidades selecionadas para a montagem do projeto.
Anúncios

Conheça os detalhes do projeto “Cidades Digitais”

  Nadia Gasparotto especialista em telecomunicações.

.

Cidades Digitais – Uma Ferramenta de Inclusão

Trata-se de mais uma iniciativa do governo para incentivar a inclusão digital em nosso País.

Entende-se por Cidade Digital, a implantação de uma infraestrutura voltada para o atendimento de órgãos da administração e dos projetos de inclusão digital e social do governo.

Por meio de tecnologia  sem-fio, conectam-se os órgãos públicos municipais, estaduais e federais, bem como escolas, bibliotecas, telecentros, pontos de cultura, postos de saúde, hospitais, delegacias, entre outros.

O projeto não leva sinal de internet gratuita às residências e a população terá acesso gratuito em espaços abertos chamados “praças digitais”. Isso pode se beneficiar dos serviços públicos conectados a essas redes, pois é criada a interface entre o espaço eletrônico e o espaço físico por meio do oferecimento de teleportos, telecentros, quiosques multimídia e áreas de acesso e serviços.

Segundo o Ministério das Comunicações, o Brasil conta hoje com 163 cidades digitais, e de acordo com Rogério Santanna, presidente da Telebrás, em entrevista exclusiva ao G1, o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), criado pelo governo, deve quadruplicar a quantidade de cidades digitais no País

A expectativa é que pelo menos 500 novas cidades digitais sejam criadas até 2014 e que as já existentes “sejam potencializadas”!

Do ponto de vista do cidadão, o principal objetivo é melhorar a prestação de serviços públicos de saúde, educação e segurança, e para o município a interconexão via redes dos órgãos e instituições públicas, espera-se reduzir significativamente o custos municipais com telecomunicações, já que chamadas entre departamentos seriam gratuitas por meio de uma conexão VoIP.

O meu questionamento é exatamente pois prover o acesso ao mundo digital não é por si só o suficiente para assegurar o uso efetivo dos meios de informação e comunicação em rede por parte dos usuários, são necessários outros recursos voltados à acessibilidade, usabilidade e inteligibilidade e que sejam disponibilizados a todos os indivíduos. A ferramenta deve ser simples e com aplicações que façam sentido e tenham importância na vida do cidadão.

Para resolver a questão da inclusão social o importante é estabelecer políticas públicas voltadas para a criação de espaços coletivos, com acesso livre e democrático que permitam a integração e inclusão das comunidades no mundo virtual que deve ser definido de maneira inteligente e proativa e de interesse público!