Que as máquinas de café em cápsulas estão cada vez mais populares, isso é fato. Agora, com a oferta de uma que reúna café, chá, suco e até refrigerante, Ambev e Whirpool querem revolucionar a maneira de fazer bebidas em casa.

As duas lançaram hoje a Brastemp B.Blend, primeiro produto da joint venture B.blend Máquinas e Bebidas formada pelas empresas para atuar nesse mercado.

A máquina não só faz bebidas quentes, como chá e café, como dela sai 250 ml de refrigerante do Guaraná Antartica, da marca Ambev.

“É mais uma opção para pessoas que consomem a bebida e, por isso, não deve atrapalhar as vendas do guaraná em lata ou garrafa, mas melhorar”, afirma Fernando Yunes, vice-presidente de novos negócios da Whirpool Latin America.

A novidade torna possível a produção de 10 tipos de bebidas em mais de 20 sabores diferentes. Os produtos foram todos criados pela joint venture.

Além do refrigerante, outras bebidas não alcoolicas exclusivas da Ambev devem entrar no portfólio aos poucos.

As cápsulas serão feitas por um fabricante na Alemanha, enquanto que as máquinas serão feitas na linha da Brastemp dentro da fábrica da Whirpool em Joinville, Santa Catarina.

Só na web

As vendas da Brastemp B.blend começam, inicialmente, pelas cidades de São Paulo e Campinas por meio do site da marca, único meio de comprar o produto.

Serão 500 máquinas ao preço de 3.500 reais cada. Todas virão com 100 cápsulas de bebidas diversas, com direito a receber novidades em primeira mão e convites da marca.

Os preços das cápsulas variam de R$ 1,49 a R$ 4,49, e as entregas são feitas em até 3 dias – a das máquinas acontecem em até 7.

As vendas da nova empresa serão todas feitas por meio do site. Um aplicativo também está sendo desenvolvido para facilitar as compras.

Até quando a empresa pretende fechar as vendas desse primeiro lote?

“O mais rápido possível”, brinca Thiago Nori, presidente da nova companhia, que já opera com sede própria na capital paulista com uma equipe de 30 pessoas.

A escolha por operar um negócio independente das duas gigantes foi pensada para que o negócio tenha independência para criar planos e colocá-los em prática.

Mesmo porque, com a B.Blend crescendo, as sócias também crescem. Cada uma tem 50% da nova empresa e o aporte inicial nela, apenas da Ambev, foi de 110 milhões de reais.