Posts Tagged ‘app’

BHTrans lança aplicativo que avisa horário que ônibus passa em ponto

SIU MOBILE

A Prefeitura de Belo Horizonte lançou oficialmente nesta quarta-feira (9) o aplicativo SIU Mobile BH. A ferramenta possibilita que os usuários visualizem as previsões de chegada dos ônibus nos pontos desejados, através de consultas em seus smartphones.

O aplicativo, já disponível para Android e IOS, também dispõe de uma funcionalidade especifica para deficientes visuais. Através dela, o usuário, devidamente cadastrado, pode comunicar o seu desejo de embarcar ao motorista do ônibus escolhido, através do envio de mensagem ao painel do veículo, que apresentará o endereço do ponto de ônibus e o nome do passageiro.

SIU MOBILE 

Os 3 mil ônibus de BH, assim como os 9 mil pontos da cidade estão conectados pelo aplicativo.

 

 

SIU MOBILE.

Por Aline Louise – Hoje em Dia

Anúncios

Skype pede desculpas por falha e oferece 20 minutos de ligações grátis

Microsoft decidiu oferecer 20 minutos de ligações grátis como forma de se desculpar por um problema no Skype que aconteceu em setembro. Na ocasião, novas configurações bloquearem o acesso a diversos aplicativos. Todos os usuários que tentavam se conectar ao app enfrentavam uma sobrecarga no sistema, deixando as chamadas online e VoIP fora do ar. A informação sobre o crédito extra começou a ser enviada por e-mail nesta sexta-feira (9) para os assinantes do serviço.

.

Skype se desculpa e oferece 20 minutos de ligações devido a problema no serviço (Foto: Divulgação)

.

No dia seguinte ao bug, o vice-presidente do Skype escreveu no blog oficial do produto, explicando o motivo do problema e pedindo desculpas. Agora, usuários que receberem o pedido formal de perdão terão direito a um crédito, disponível nos próximos dias.

Os 20 minutos de chamadas, porém, têm limitação geográfica, o que significa que não podem ser usados para ligar para qualquer país. Segundo o comunicado, a gratuidade vale para números fixos de mais de 60 países e celulares de oito localidades ainda não detalhadas. Além disso, os minutos ficarão disponíveis para uso apenas por sete dias.

Confira o comunicado oficial do Skype na íntegra.

Microsoft enviou comunicado a usuários ofertando créditos do Skype de graça (Foto: Reprodução/Thassius Veloso) (Foto: Microsoft enviou comunicado a usuários ofertando créditos do Skype de graça (Foto: Reprodução/Thassius Veloso))
.
Via Paulo Alves para o TechTudo.

Empresa brasileira cria cartão de crédito sem taxas controlado pelo celular

Estreou no Brasil uma startup chamada Nubank que promete combater dois males financeiros de uma só vez ao oferecer um cartão de crédito livre de taxas que dispensa a maior parte da costumeira burocracia do setor.

O cartão é totalmente controlado pelo smartphone através de um aplicativo para Android ou iOS. E é a única peça física à qual o usuário tem acesso; todo o restante é feito de forma virtual.

A cada compra o usuário recebe uma notificação, que passa para uma linha do tempo e já surge na descrição da próxima fatura. Os lançamentos podem ser organizados com tags e até emoticons, e dá para alterar o nome e a categoria do estabelecimento onde a compra foi realizada. Informações como IOF, taxa de câmbio e os parcelamentos também são descritos na fatura.

Reprodução
Se identificar compras que não fez, o usuário pode cancelar o cartão com o app e, caso perca o aparelho, consegue bloquear cartão e aplicativo pela internet. A comunicação com a empresa pode ser feita por chat, e-mail ou telefone, mas 95% dos contatos têm sido realizados pelo chat.

Investimento

A plataforma surgiu graças ao primeiro grande investimento de risco do fundo Sequoia Capital no Brasil. Outros que apostaram na Nubank foram o Kaszek Ventures e o empreendedor Nicolas Berggruen. No total foi colocado um montante de US$ 14,3 milhões (R$ 34,2 milhões) na startup.

“Passamos algumas semanas no Vale do Silício e todas as empresas perguntavam quem já faz isso nos Estados Unidos, mas ninguém faz”, contou David Vélez, fundador e CEO da Nubank, antes de explicar por que o pioneirismo não os motivou a apostar no mercado norte-americano:

“A oportunidade no Brasil é muito mais interessante do que nos EUA”, disse. “A experiência financeira de base no Brasil ainda precisa melhorar muito, os juros de cartão de crédito estão entre os maiores do mundo, com uma taxa entre 10% e 12% por mês, o que não faz muito sentido para nós.”

O cartão da Nubank não cobra taxas porque a empresa cortou o máximo de burocracia possível -incluindo os bancos -, mas tem juros, uma taxa média de 7,75%. “Tudo é feito pelo aplicativo, é um processo muito mais simplificado”, lembra Vélez, “não tem agência, papel, espera, é tudo pelo celular.”

Mas a maior qualidade da novidade é também seu ponto fraco: a única marca conhecida do cartão é a bandeira da MasterCard que vem impressa nele, então como fazer o consumidor confiar na plataforma? “Eu estou dando dinheiro, fico com todo o risco do cliente. Ele pode pegar o cartão, gastar e ir embora, é a Nubank que toma o risco”, argumenta o CEO.

“Somos uma marca nova no mercado”, reconhece ele. “Tem pessoas que preferem ir aos grandes bancos, mas quem está entre 29 e 39 anos confia em plataformas digitais, não veem problemas.” De olho nesse público, que representa cerca de metade da população, a Nubank acredita que não demorará a crescer.

Por ora a empresa está totalmente focada no negócio do cartão de crédito “e vai continuar assim por muito tempo”, garante Vélez. Mas a startup enxerga mais oportunidades em função da experiência que o brasileiro tem com as finanças. “Há muita frustração com os grandes bancos, que são caros e burocráticos”, argumenta o executivo, segundo o qual a filosofia da Nubank pode ser aplicada a outros produtos financeiros futuramente.

IBM programa ferramenta que transforma aplicação de PC em mobile app

De olho na consumerização – a tendência de funcionários levarem seus próprios dispositivos móveis para trabalharem na empresa –, a IBM anunciou que lançará, provavelmente em maio deste ano, em uma conferência a desenvolvedores, uma plataforma que converte aplicações de PCs a dispositivos móveis. Segundo Rob Ingram, gerente sênior da Estratégia de Colaboração Mobile da IBM, a ideia é pegar carona no movimento de consumerização da TI nas empresas.

“No passado, apenas pessoas consideradas como importantes para a organização ganhavam um aparelho BlackBerry para terem acesso a seus arquivos corporativos. Agora, o usuário leva seus próprios dispositivos para a empresa e entrega para o departamento de tecnologia acertar a configuração”, explicou em entrevista a jornalistas durante o Lotusphere 2012, encontro realizado pela IBM em Orlando (Flórida, EUA), para discutir social business.

“Agora é a decisão do consumidor, que vai ao responsável da TI e questiona: como acesso meu e-mail daqui?”, adicionou. Desta forma, existe uma divisão de responsabilidades e custos entre o colaborador e a empresa no que diz respeito à estratégia móvel: de um lado, o empregado compra o dispositivo. Do outro, a TI precisa se responsabilizar pela infraestrutura e garantir investimentos para que  dispositivo consiga rodar.

Segundo o executivo, o projeto ainda está em fase de desenvolvimento. A ideia é que ele rode, inicialmente, nas principais plataformas móveis operacionais, que são Android (este com destaque para smartphones) e iOS (em especial com o iPad, mas em forte participação também por conta do iPhone). A ambientação para outros sistemas operacionais viria para um segundo momento.

“Essa ferramenta estaria disponível tanto para desenvolvedores corporativos quanto terceirizados. A ideia é facilitar que o conteúdo dentro das empresas seja agregado.”

Segundo ele, algumas aplicações funcionam muito bem rodando em browser móveis. Outras, nem tanto, precisando, portanto, de uma versão específica para dispositivos móveis. “É uma passagem do web app para o mobile app”, finalizou.